segunda-feira, 17 de março de 2014

CONFIGURAÇÕES DE PAY ITEMS (SICRO 2) e padrão DER-SP para Civil 3D e PowerCivil

Atualmente estou criando um padrão nacional de Pay Items e para tanto estou verificando o que o pessoal dos States já tem pronto, como estou configurando em PowerCivil ficou até mais fácil pois já tem bastante coisa mastigada por lá, maiores informações no link http://www.coloradodot.info/business/designsupport/cadd/manuals-training-resources/resources/Fencing%20Tab%20Sheet%20Instructions.pdf/view
Depois de muita luta com os "templates prontos" fornecidos pela Autodesk, eu acabei indo direto na fonte e resolvi fazer os meus próprios templates baseados no padrão DER-SP, tive que dar uma atualizada pois o pessoal sugeria configurações do arquivo ainda como se fosse na versão 14, mas dá pra ter um panorama legal sobre nomenclatura de layers e de arquivos. As especificações podem ser acessadas em
ftp://ftp.sp.gov.br/ftpder/normas/IP-DE-A00-001_B.zip
ftp://ftp.sp.gov.br/ftpder/normas/IP-DE-A00-002_C.zip
ftp://ftp.sp.gov.br/ftpder/normas/IP-DE-A00-003_B.zip
Se alguém quiser participar comigo desta empreitada eu estou precisando de alguém com tempo para criar a biblioteca de linhas DER/13.133 e blocos topográficos (13.133) para Autocad e Microstation.
Estou fazendo também uma equivalência de características de veículos tipo AASHTO para DNIT pois ainda não conseguimos validar os dados de Superelevação e Superlargura que os softwares fornecem.

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Power Civil x Civil 3D - Parte II

Depois de uma longa data esperando, enfim consegui ter um contato físico com o PowerCivil for Brazil.
Estou realizando uma consultoria em Florianópolis e o contratante adquiriu o PowerCivil que será utilizado em um projeto de ferrovia.
Depois de vários contatos com a Bentley sobre a disponibilidade de uma versão de avaliação do software que não foi fornecida, aconteceu algo interessante, o treinamento foi realizado em uma versão de avaliação.
Generalidades a parte, vamos ao que interessa, a avaliação.
O que mais chama a atenção no programa é a velocidade com que as informações, depois de modeladas, são apresentadas. O corredor e os elementos geométricos são alterados em uma velocidade impressionante (comparados com o Civil 3D). Lógico que os exercícios fornecidos durante o treinamento são de pequenas proporções, logo, logo, estarei com os traçados contratados em mãos para rodar o corredor dos cerca de 300 km de alinhamento (lembrando que eu já rodei 600km no Civil 3D e foi praticamente um parto).
Estou no aeroporto de Florianópolis esperando para embarcar para casa, assim que tiver um tempo eu vou fazer um quadro comparativo entre os dois programas com as características de cada um.
Já vou tentar importar e rodar os 600km do projeto anterior no PowerCivil no notebook (i3 com 4gb ram), vamos ver no que dá.
Assim que tiver essas informações eu publico.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Semana de Engenharia Civil - Uniderp

Vai acontecer entre os dias 03 a 05 de Outubro na Uniderp-Anhanguera a XV Semana de Engenharia Civil com o tema Infra-Estrutura: Desafios e Possibilidades.
As inscrições acontecem hoje e amanhã (01 e 02 de outubro 2012) e o ingresso é 1 cx. de leite integral.
maiores informações em:

Serei o primeiro palestrante com o tema Geoprocessamento x Engenharia e convido aos amigos que participem.


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

API do Civil 3D e AU Brasil

Mais uma vez a Autodesk mostrou que sabe como tratar bem seus usuários.

A Autodesk disponibilizou outra turma da API do Civil3D entre os dias 06 a 08 de Agosto.

A o treinamento forneceu conhecimentos para que se possa entrar via programação (.NET) no Civil e realizar operações não disponíveis no programa, por exemplo, aprendemos a fazer Notas de Serviço no padrão DNIT com saída para Excel.

Além do conhecimento adquirido é um local propício para fazermos contatos, conheci muita gente interessante, entre eles o Osvaldo de Campinas, um cara que conhece muito de Civil e também o Rômulo do Autotopo, um visionário que ainda vai dar o que falar no ambiente da engenharia.

Parabéns a Autodesk e aproveito para fazer o convite para o AU Brasil que vai acontecer no dia 09 de Outubro em São Paulo. Neste ano teremos a participação como palestrante do Neyton falando sobre Corredores Complexos, dos irmãos Cursino da SC Engenharia falando sobre Nota de Serviço DER/SP e até o Osvaldo vai ser palestrante falando sobre loteamentos.

Façam logo suas reservas para o AU e fiquem atentos pois estaremos divulgando aqui no blog a nova turma de API (assim que tivermos a confirmação da Autodesk).

terça-feira, 12 de junho de 2012

Wish list (lista de desejos) do Autocad

Esta é uma iniciativa louvável da Autodesk perguntar aos usuários o que é que eles querem que apareça nas próximas versões dos programas.
Para participar tem que se juntar ao AUGI, basta preencher um cadastro gratuito
http://www.augi.com/wishlist
Depois é só votar no rank existente (top 30) de cada produto sendo que os 10 mais votados serão utilizados na definição de desenvolvimento dos produtos.
Acredito ser possível incluir novos atributos no rank existente, não dá pra afirmar agora pois o site está fora do ar, mas assim que eu votar eu posto novamente aqui.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Curso e apostila do Civil 3D

Sempre me perguntam por onde começar, para quem está começando é sempre bom ter um BOM referencial.

Curso em Vídeo
Estradas
Está disponível o Curso em Vídeo do Garlipp, eu ainda não vi o curso todo, mas o Garlipp sempre produziu material de qualidade e postou um preview do curso e eu gostei do que eu vi.
É o que eu recomendo http://garlipp.blogspot.com.br/2012/05/chegou-video-aula-de-rodovia-vol1.html

Template
http://marcelovagula.blogspot.com.br/2011/04/curso-de-template-civil-3d-2011.html


Apostilas
Estradas
Quem quiser mais material o Neyton também tem uns tutoriais legais que podem ser acessados em
http://tbn2.blogspot.com.br/2008/04/civil-3d-tutoriais-parte-1.html

Quem quiser baixar uma apostila gratis basta preencher um cadastro e baixar em
http://www.sceng.com.br/index.php?option=com_comprofiler&Itemid=34

Topografia
Para a parte de Topografia o melhor tutorial é o do Simeão que pode ser acessado em:
http://www.ebah.com.br/content/ABAAAfHVYAI/survey-topografia-civil-3d

Topograph 3d e Bentley do Brasil

Aos saudosistas,
a Char Pointer está em versão de testes do Topograph 3D. Ainda não tive contato com o programa, mas promete ser uma boa atualização para tirar o Topograph do ostracismo.
Estou procurando uma versão beta para avaliação. 
Se alguém tiver e puder disponibilizar eu agradeço.

Obs. a Bentley do Brasil continua a mesma, eu solicitei uma versão demo do PowerCivil (recebi um email da Bentley Americana). Solicitei ao escritório do Rio pois NUNCA tive um relacionamento bom com o pessoal de São Paulo. Me enviaram email solicitando que eu fizesse um cadastro, mas lá se vão meses e até agora não retornaram.

Minha visão continua a mesma: os produtos Bentley sempre foram melhores (não sei agora depois do Civil 3D), mas a parte Técnica/Comercial da Bentley do Brasil deixa muito a desejar.

terça-feira, 22 de maio de 2012

QUAL É A PRECISÃO DO GOOGLE EARTH???

Essa foi uma discussão no Topografia Geral e deve ser aprofundada.
Tem muita gente fazendo e vendendo gato por lebre por aí.
Quem quiser pode complementar, rebater, enfim, temos que desmistificar o uso do Google Earth.

QUAL É A PRECISÃO DO GOOGLE EARTH?

Sobre as Imagens
O Google Earth é uma ferramenta fantástica para visualização de dados espaciais, mas não dá pra confiar na precisão (ele não foi feito para ser preciso).
A base do Google Earth são imagens orbitais com a base do algoritmo ECW e somente onde a imagem for da DigitalGlobe/Quickbird é que temos 60cm, mas tem imagens Ikonos (1m), Spot e Landsat com mais de 1m, dependendo da região.
Podemos notar que no encaixe das imagens o critério utilizado é o visual, vemos que várias estradas e cursos d’água não são contínuos, mas fica “bonitinho” pois os caras fazem um ajuste de cor que é fantástico.
Com o devido processamento das informações (Georreferenciamento e Ortorretificação) dá pra ter exatidão cartográfica, mas sem processamento temos que usar o Google Earth apenas para localizar “MAIS OU MENOS”.
Alguns estudos já conseguiram garantir a escala de 1:5.000 (pelo PEC-Padrão de Exatidão Cartográfica), mas esse valor não é padrão, depende da região.
Para o Georreferenciamento com dois pontos conhecidos de GPS dá pra dar um Align no Autocad e pronto.
Para a Ortorretificação não temos as informações brutas (dos satélites) das imagens fornecidas portanto só é possível fazer com softwares específicos que façam o ajustamento da imagem através de funções polinomiais (eu uso no mínimo 10 pontos de controle, distribuídos em forma de espiral com polinômio do 3º grau – muito conservador mas dá segurança).

Sobre a Altimetria
A base da altimetria é o SRTM e não temos qualquer controle sobre a precisão das curvas de nível pois em cada altitude do ponto de visão (zoom) temos uma superfície  com precisão diferente.
O ideal é baixar os dados diretamente do site da Embrapa (3 arcos segundos) ou comprar os dados de 1" da Agência Espacial Alemã - DLR.
Ouvi dizer que dá pra fazer interpolações e converter de 3” para 1”, mas ainda não cheguei neste nível.

ENTÃO QUAL É A PRECISÃO?

Imagens: Com muito esforço e imagens QuickBird dá pra chegar em 1:2.400 (pelo PEC)

Altimetria: Quem conseguir descobrir a altitude ideal no Google Earth vai conseguir 90m que é a precisão do SRTM. Sem qualquer ajuste a precisão é 1:360.000 (90m/0.00025=360.000), mas dá pra melhorar usando o método de kriegagem do Surfer com alguns pontos de controle.  


E o pior é que eu já vi projetos viários extraídos diretamente do Google e a pessoa afirmava que tinha precisão.  

terça-feira, 24 de abril de 2012